Sintra Online

          ::: Sintra - Património Mundial :::

 

Gastronomia

 

        Para um povo com um passado histórico tão rico, como é o caso dos saloios sintrenses, os aspectos gastronómicos adquirem um forte valor tradicional  que importa preservar e fomentar. Variada e abundante, a culinária da  região é capaz de fazer crescer água na boca a qualquer comensal.
        Dos pratos de carne, saliente-se o Leitão de Negrais, a Carne de Porco às Mercês, abundante em peixe fino, marisco e moluscos. Assim, é possível comer-se um apetitoso robalo ou sargo, deleitar-se com um polvo ou saborear mexilhões e percebes.
        Na doçaria o destaque vai, inevitavelmente, para as queijadas de Sintra, doce ancestral que vem, pelo menos da Idade Média. Todavia, outros há que merecem ser provados. Os Travesseiros, os Pastéis da Pena , as Nozes de Colares, os Fôfos de Belas a par de um conjunto de compotas tradicionais fabricadas segundo métodos muito antigos.
        A acompanhar qualquer refeição, indispensável é o vinho de Colares, sobretudo a sua famosa casa Ramisco, um dos primeiros da gloriosa carta de vinhos de Portugal.

No que diz respeito a gastronomia, a zona de Sintra é muito rica em petiscos de fazer crescer água na boca.

Em relação aos pratos de carne temos:

-         Carne de porco às Mercês

-         Leitão dos Negrais

-         Vitela à Sintrense

-         Cabrito assado

No respeitante a pratos de peixe a região de Sintra possui uma grande diversidade de pratos tradicionais tais como:

-         Caldeirada de abrótea e caboz

-         Migas à pescador

-         Escalada de Lapas

-         Mexilhões na chapa

-         Mexilhões de cebolada

-         Açorda de bacalhau

A acompanhar qualquer uma destas refeições, indispensável é o vinho de Colares, sobretudo a sua famosa casta Ramisco, um dos primeiros da carta de vinhos de Portugal.

Já pelos doces esta região é bastante conhecida, pois quem não conhece as famosas queijadas de Sintra, feitas pelas fábricas da (Piriquita, Sapa, Gregório e Preto) bem como os deliciosos travesseiros de Sintra. Outros doces já não tão conhecidos são os pasteis da Cruz Alta, Pasteis da Pena, Parrameiros (Bolo Saloio vendido nas feiras tradicionais de Sintra), Nozes de Galamares, Bolos da Festa da Nossa Senhora da Graça (Almoçageme), Bolos da Festa de São Mamede (Janas) e as Pêras Pardas.

 

> Roteiro Gastronómico de Sintra - Receitas das Famosas Doçarias da Vila

 

Queijadas de Sintra
 

Ingredientes:

Para a Massa:

Confecção:

Primeiro a massa:
Amasse a farinha com a manteiga, junte o ovo, uma pitada de sal e um pouco de água, vá amassando até obter massa segura e moldável; bata muito bem, faça uma bola e deixe a repousar 30 minutos.
Com o rolo estenda a massa de modo que fique com 2 mm de espessura e forre as formas de queijadas, e acerte os bordos.
Coloque as formas num tabuleiro e encha com o creme e leve a cozer em forno quente durante +- 30 minutos.
Agora o creme:
Batem-se muito bem os queijos frescos desfeitos, com as gemas e o açúcar, acrescentando a farinha para dar consistência.
Encha as formas já forradas com este creme.

                                                       

 - Queijadas de Sintra 

 

Travesseiros de Sintra
 

Ingredientes:

Confecção:

Estenda a massa folhada até atingir a espessura de 4mm, polvilhando ligeiramente com farinha sempre que necessário para não pegar nem ao rolo nem à mesa. 
Depois corte com uma faca rectângulos de massa com cerca de 12x 12 cm. 
Coloque no centro 1 colher de sobremesa de Ovos Moles, espalhando um pouco no sentido da largura sem chegar aos bordos. 
Enrole com cuidado e espalme-os ligeiramente de modo que o fecho da massa fique virado para um dos lados nunca para baixo. Coloque os travesseiros num tabuleiro separados ligeiramente uns dos outros e leve a cozer em forno bastante quente cerca de 15 minutos. 
Quando estiverem cozidos, retire-os e polvilhe-os ainda quentes um a um com açúcar.